Não dá mais para escapar: a agricultura é um dos setores mais modernos e que tem utilizado a tecnologia a favor da produtividade. Mas não só isso…

Você já ouviu falar de internet das coisas? Também conhecida como IoT (na sigla em inglês), e a tecnologia em que as máquinas se comunicam pela internet, sem a interferência de pessoas. Um dos usos mais conhecidos é em residências, quando há um mecanismo de controle via computador ou celular para gerenciamento de "coisas" como máquinas de café e televisores, além do controle de luz, som e segurança.

No setor rural, ela está se desenvolvendo com grande rapidez. Além de garantir mais produtividade, ela facilita o acesso aos dados da propriedade de qualquer lugar no mundo, a um toque num smartphone ou tablet.

Imagine poder gerenciar toda a propriedade a distância? E saber sobre o clima, o rendimento das máquinas e funcionários, ritmo de crescimento das plantas, focos de pragas… quem sabe, estando nos Estados Unidos ou no Rio de Janeiro?! A internet das coisas vai propiciar isso!

Mercado

Estima-se que esse mercado será muito movimentado nos próximos anos. A empresa de pesquisa IDC afirma que a internet das coisas deve movimentar 8 bilhões de dólares no Brasil ainda em 2018. Já o Plano Nacional de Internet das Coisas prevê que até 2025 a implementação de IoT gere um impacto na agricultura de 21 bilhões de dólares. Têm crescido o número de empresas e startups que apostam nessa tecnologia e começaram a desenvolver sensores, equipamentos e softwares.

Como funciona a IoT no campo

Para a internet das coisas funcionar nas fazendas, é necessário que os equipamentos como tratores e demais máquinas e sistemas tenham sensores para conexão online. A expectativa é que todas os equipamentos e implementos agrícolas sejam conectados no futuro, a fim de facilitar essa reunião e análise de dados.

Nas “fazendas inteligentes” (termo inspirado nas “cidades inteligentes” ou smart cities), os processos de gestão e produção estão integrados. Ou seja, durante o processo produtivo, são colhidos dados que influenciam na tomada de decisão, que por sua vez, indicam ações preventivas ou corretivas na lavoura e na pecuária.

Os usos são variados: máquinas inteligentes, robôs e drones que coletam informações do solo, do tempo, das plantas e animais e até das próprias máquinas, geram um grande banco de dados - o BIG Data - com análise e indicação de correções. Uma das tecnologias associadas mais importante é a Agricultura de Precisão, já que a partir da indicação da necessidade de atuação em determinados pontos, as máquinas têm capacidade de agir de maneira localizada, o que gera economia e colabora no aumento da produtividade.

Capacitação: urgente e imprescindível

Estar atualizado em um cenário com em que as inovações chegam a todo momento é indispensável. Ser “fluente” em conhecimentos de tecnologia associada ao campo traz benefícios para sua carreira e para a propriedade rural em que você atua. Por isso, o EAD Senar Goiás oferece gratuitamente 7 cursos no Programa Agricultura de Precisão, todos gratuitos, feitos pela internet e com cerca de 17 horas de duração cada.

Para se matricular nos cursos do EAD Senar Goiás, basta acessar este link e clicar em “Matricule-se”.

Fale com a gente

Dúvida, crítica, sugestão ou elogio?

Preencha o formulário e aguarde nosso contato.

Nome*
E-mail*
Telefone com DDD*

E-mail enviado com sucesso! Em breve um dos nossos colaboradores irá entrar em contato. Obrigado!